Majestoso 301

26 09 2009

majestoso

É o nome dado, por Thomaz Mazzoni, ao clássico entre São Paulo Futebol Clube e Sport Club Corinthians Paulista, que terá mais uma edição a ser realizada amanhã, 27/09, no estádio do Morumbi.

Um confronto sempre complicado, com total equilíbrio, independente da situação das equipes.

Podemos citar como exemplo o confronto no segundo turno do Brasileirão 2007, onde o Corinthians ganhou por 1×0 do Tricolor, com gol de Betão, dando fim ao incomodo jejum de 4 anos sem vitórias diante do rival.

Como em toda e boa rivalidade, sempre tem provocações.

Enquanto os são paulinos ‘esfregam na cara’ que tem um estádio e três Libertadores, os corinthianos dizem que em competições mata-mata, eles sempre levam a melhor.

E sai um bambi dali, um gambá de lá.

E sempre tem aqueles tolos de sempre que confundem as coisas e partem pra ignorância, por estes e outros motivos que a maioria desconhece (e ainda bem que desconhece).

Algumas vezes, o Majestoso é lembrado pelo o que acontece fora de campo, nos arredores ou até alguns quilômetros longe de onde está sendo realizada a partida.

Uma partida tensa, afinal, são as duas maiores torcida do estado.

Nervos a flor da pele. Todos querem ganhar.

Mas devemos lembrar que ao apito final do juiz, a vida segue.

Será que 300 Majestosos não foram suficientes para todos aprenderem as devidas lições?





É marmelada ou não é? Hein Sr. CQC?

22 09 2009

A intenção era comentar o CQC, de número 71, de hoje, que teve como atrações a luta de Theo Becker (ele mesmo!) com um campeão de MMA, entrevista com Lily Allen, matérias no Congresso Nacional, evento na Daslu, entre outros.

Mas a principal atração eram as semi-finais do concurso ‘8º CQC’, que já estava em xeque, devido ao fato de Rogério Morgado ser conhecido de alguns dos homens de preto.

Ele enfrentou Carol Zoccoli (que já trabalhou com alguns dos CQCs) e os dois gravaram no Prêmio Brasil Jovem 2009.

A pequenina humorista saiu bem melhor do que o comediante ‘fortinho’ e pra surpresa de muitos, ela foi a escolhida.

Todas as suspeitas de cartas marcadas, levantadas há semanas, caíram por terra.

Inclusive, Danilo Gentili, em seu Twitter, distribuiu ofensas e desabafou contra quem desconfiasse de armação e pra quem quisesse ouvir (no caso, ler).

No bloco seguinte, a outra semi-final, com Paulão e Monica Iozzi.

A matéria era a cobertura da Virada Esportiva, que rolou no último final de semana, aqui em São Paulo.

Foi notável que, mais uma vez, o desempenho de Monica não era páreo para o adversário.

Na segunda-feira passada, Ana Paula Davim foi bem melhor, em uma matéria gravada na Festa de Peão de Barretos.

Hoje, o desempenho de Paulão era bem superior. Mas a escolhida foi Monica.

Até aí, nenhum problema, pois a produção utiliza dos critérios que bem entender, desde que ele sejam claros e sejam utilizados com transparência.

Mas o fato mais intrigante foi o vazamento do resultado no site, antes do anúncio oficial do ‘Sr. CQC’ no palco, ao vivo.

Note que o relógio do PC, marcava 23h39, na hora em que o print foi dado.

Atentem ao horário do print screen. Muitos minutos antes do anúncio oficial. É para desconfiar, não é mesmo?

Atentem ao horário do print screen. Muitos minutos antes do anúncio oficial. É para desconfiar, não é mesmo?

ATUALIZADO: Clique aqui e veja o print screen em tamanho original.

O resultado no palco, foi revelado por volta de 23h59.

Isso colocou novamente em cheque a credibilidade do concurso.

E não é só isso! Diego Barredo, diretor de conteúdo do programa, segue Monica Iozzi no Twitter. Só. Nenhum dos outros candidatos constam em sua lista.

Outro fato curioso: Paulão conta em seu blog que foi dispensado das gravações de domingo. Segue trecho:

“Beijos, carinho. Bode. Uma hora deitado e a esperança que a dor diminua. Meu trabalho hoje foi tão bom que me dispensaram de gravar amanhã. Quer dizer que o estágio dois se foi. O próximo desafio é, depois de esticar as espinhela na cama e tomar banho, pegar o vôo, andar 300 km e fazer o show em Dourados.”

Dispensaram Paulão, mas dispensaram a Monica também?

Enfim, surgem novas suspeitas.

Em 20 minutos, se livraram de uma e arranjaram outras.

Se fossem mais transparentes com as regras e critérios, não teriam dor de cabeça e não seriam questionados.

Mas com um cenário que me lembra Brasília, esperamos uma explicação da Cuatro Cabezas, do Sr. Diego Barredo, do Sr. Marcelo Tas e de quem mais puder falar por eles.

O público não engoliu essa eliminação do Paulão, que foi CLARAMENTE melhor do que a Monica. Sabrina Sato é melhor do que a Monica.

Não sei se o público, em sua totalidade, vai continuar cobrando essas explicações, porque este é um país de acomodados.

Mas nós do Trocando Passes continuaremos cobrando, até que as respostas apareçam (e nos convençam).

Para quem critica a política, eles ainda tem muito o que aprender.

E desde já, não contem mais com a minha audiência, CQC. O telespectador não é palhaço. Mas o nariz serve como carapuça para muitos deles.

Não para nós.





Não basta ter Twitter, tem que saber usar, né Cacá?

20 09 2009

Cacá Rosset é uma figura que nunca some.

Sempre é possível vê-lo em alguma programa na TV, quando damos aquela zapeada.

Passam-se os anos e as celebridades instantâneas e ele continua lá, firme feito rocha, sendo convidado para diversos programas.

Até comentarista esportivo foi, durante um longo período, dividindo bancada com Milton Neves e sua turma.

Enfim, um cara da mídia. Que deve ser sempre procurado pelos produtores destes programas.

Mas chegou a hora dele usar a(s) mídia(s) ao seu favor também.

Há quase seis meses, ele foi mais um famoso que aderiu a febre do Twitter.

Não durou muito tempo e já tinha muitos seguidores.

Será que porque ele é só mais rostinho bonito (?) no Twitter?

"Twitter é melhor do que sexo!" Vocês concordam com ele?

"Twitter é melhor do que sexo!" Vocês concordam com ele?

Um dos fatores para seu sucesso na rede social foi uma excelente ideia, de postar piadinhas sem graça que os internautas mandam para ele, em tempo real.

Anedotinhas que ele batizou de “piadas da vovó’.

Por conta do grande retorno, teve que montar um perfil especialmente para o que ele apelidou de programa, pois há horários específicos para que ele divulgue os gracejos de seus seguidores.

Mas não é só isso. Ele também promove debates, enquetes, posta fotos de suas gravações pelos programas da vida e até liga sua webcam e bate um papo virtual com a galera.

Enquanto tem uns e outros bravos com essa interatividade que o Twitter proporciona, Cacá tira onda e utiliza a rede a seu favor.

Como ele mesmo diz, Twitter é melhor do sexo.

Há controvérsias, claro, mas ele é um dos poucos famosos que sabem utilizar a internet e esta proximidade com o público como ninguém.

Se quiserem seguir os rastros dele, seguem os links

@CacaRosset

@piadasdavovo





Fácil para contar, díficil de reclamar – Relatos de uma entrevista

18 09 2009

Apreensivo, tenso, nervoso. Assim estava Paulão, vocalista das Velhas Virgens. Ele participa do concurso para o oitavo CQC e o que irá servir como avaliação para a próxima eliminatória? Matérias, é claro.

Entre marcações e remarcações, ele consegue acertar seus horários e toda o esquema a ser realizado, pois as gravações serão aqui em São Paulo no sábado e talvez domingo, mas as VV tem dois shows marcados no Mato Grosso do Sul. Sexta, em Campo Grande. Sábado em Dourados.

Podemos concluir que ele tem apenas duas certezas. A do cansaço e do acúmulo de pontos no programa de milhagem de vôos.

É neste ambiente todo que marcamos e confirmamos nossa ida a sua residência, no Tremembé, zona norte da cidade, com a grande possibilidade da mesma ser cancelada em cima da hora, pelo motivo já exposto.

Chegamos num comboio, em três carros.

Um batalhão foi entrevistar o cara? Não.

Em um carro estavam Carol e seu namorado. No outro, Jefferson. E no terceiro, eu e o Rodolfo.

Estacionamos e adentramos ao condomínio. Paulão, com visual renovado, nos recebe, atencioso como sempre.

Verificamos possíveis locais, dentro da casa, para gravarmos. Achamos. Montamos, na hora, toda uma ‘cenografia’. Luz não era problema.

Por acabar de chegar do trabalho e por toda essa história do CQC, Paulão está sóbrio e não tem mais cervejas para nos oferecer. Ele lamenta, se explica. Nós entendemos e nos foi prometido um churrasco, que será devidamente cobrado.

E desta forma iniciamos os trabalhos. Paulão sóbrio não é um cara diferente do que vemos nos shows. Inclusive, com a entrevista rolando, ele vai dando umas goladas num vinho do Porto e vai soltando o verbo.

A entrevista segue. Tudo certo com a imagem, som, fitas e bateria.

Paulão, bem humorado, apesar da tensão que o cerca, até canta uma música do Reginaldo Rossi, que está devidamente registrada.

Aquilo começa a tornar-se um descontraído bate papo, mas com todo cuidado pro som de nossas risadas não vazarem. Como a Carol diz, “sem respirar, gente”.

Enfim, após duas horas, terminamos a entrevista e segue uma conversa sobre a banda, nosso doc/TCC e otras cositas mas.

Rodolfo, mesmo com o fim das gravações, segue perguntando. Paulão retruca que ele tá futricando demais.

Futriqueiros, Paulão? Não, jornalistas.

E ele responde a tudo, sem pestanejar.

Ah, se tudo fosse tão fácil quanto foi a realização desta bela entrevista.

Difícil será a vida do Paulão neste final de semana.

Coisas da vida de um músico independente que está se virando com seus projetos pessoais.

Difícil fica reclamar de alguma coisa, mesmo que tenha faltado a bendita ‘breja’, para molhar nossas palavras.





Dando um sinal de vida…

17 09 2009

Amigos leitores deste humilde blog,

Passando só pra dizer que estou aqui, firme e forte, porém numa correria maluca com o TCC (para quem não sabe, é sobre o Velhas Virgens e seus 23 anos de independência).

Para terem noção, gravamos entrevista ontem com o músico independente Tatá Aeroplano, hoje com o Paulão, amanhã com um casal de fãs e no sábado com mais um fã.

Além da entrevista com o produtor Thomas Roth (isso mesmo, aquele do ‘Ídolos’ e ‘Astros’) na segunda-feira, mas devido ao horário, não poderei comparecer.

Aliando tudo isso as atividades profissionais cotidianas, não sobra tempo pra mais nada. Nem pra descansar.

Mas tenho recebido diversas sugestões de assuntos a serem comentados e logo menos teremos post novos, fresquinhos, quentinhos e saindo do forno.

Não é desculpa esfarrapada. É falta de tempo até pra ‘respirar’, meus caros.

Este blog está longe de ter o mesmo fim que teve o Patrick Swayze, que fez a ficção tornar-se realidade nesta semana e descansa em paz (ou incorporou na Whoopi Goldberg).

Aliás, descanso é carta fora do baralho na minha atual situação.

Até mais.





Falta de desportividade, ontem e hoje

14 09 2009

Nelsinho Piquet confessou que bateu o carro intencionalmente, no GP de Cingapura, ano passado, para forçar a entrada do safety car e beneficiar Fernando Alonso, que conquistou a vitória naquela prova.

O filho do tricampeão mundial Nelson Piquet fez isso, alegando que não teria sua renovação de contrato caso não ‘ajudasse’ a equipe.

Talvez todo mundo já esteja exausto em escutar essas histórias e maracutaias. E todo mundo tem sua opinião em relação a este assunto.

Rubens Barrichello, vencedor do GP de hoje, em Monza, também comentou e condenou a atitude do compatriota, considerando-a uma falta de desportividade.

Rubinho está dando a volta por cima, sem dúvida. Está aliando sua experiência com a evolução que apresenta nas pistas. Além de contar com um bom carro.

Mas talvez ele não se lembre dos serviços prestados a Michael Schumacher, na época em que defendia a mais popular das escuderias, a Ferrari.

"Hoje não! Hoje não! Hoje sim!? Hoje sim!"

"Hoje não! Hoje não! Hoje sim!? Hoje sim!"

Uma considerável parcela dos títulos mundiais do alemão pode ser dada ao brasileiro.

Atos desonestos? Não. Mas a desportividade também falava alto naquela época, pois Rubinho simplesmente acatava as decisões de Jean Todt e cia. Assim como fez Nelsinho, obedecendo a Flavio Briatore. É aquela velha história do sujo falando do mal lavado.

Hoje não vemos vitórias conquistadas na base da raça e do braço.

Por estes e outros motivos que lendas como Ayrton Senna, Alain Prost, Nigel Mansell, Niki Lauda, Gilles Villeneuve, entre outros, são lembrados e cultuados.

O resultado está nas mãos dos dirigentes, infelizmente. E isso não é exclusividade da Fórmula 1.





É diferente torcer para Lusa

13 09 2009

Alguém aqui conhece um torcedor da Portuguesa?

Se conhece é um, no máximo dois apaixonados pela Lusa do Canindé.

A Geral Filmes, a pedido do departamento de marketing do clube, bolou um comercial bem criativo que retrata bem essa história do torcedor lusitano ser diferente dos demais.

Um golaço do clube e da produtora, que captaram com muita sensibilidade o sentimento de quem torce pela Associação Portuguesa de Desportos.