Tamo junto, Orkut!

31 07 2010

Com as novas ferramentas disponíveis na web, como o Twitter e o Facebook, o Orkut vem perdendo um espaço cativo entre os internautas brasileiros.

Muita gente já migrou para outras redes sociais e deletaram ou, simplesmente, abandonaram o Orkut.

Eu sigo resistindo bravamente a este êxodo e tenho meus motivos.

Gostaria de compartilhá-los, inclusive.

———————————————————-

1 – Contato com a maioria de seus amigos

Logo quando o Orkut surgiu, um dos seus atrativos era conseguir localizar amigos que estudaram com você anos atrás ou aquelas pessoas que fizeram parte de sua infância, antigos vizinhos, enfim, pessoas que o tempo fez com que você perdesse contato.

Grande parte dos usuários do Orkut nem sempre são antenados com as novidades da internet. Mal sabem o que é o Twitter e nunca ouviram falar no Facebook.

E entre os meus contatos por lá, a grande maioria só tem perfil no Orkut. Nem sei quais são seus respectivos e-mails ou telefones. Então o Orkut seria a única via de contato pra deixar algum recado ou algo do gênero.

2 – Fóruns das comunidades

Os usuários do Orkut geralmente entram nas comunidades para afirmarem ainda mais seus gostos e preferências. Como se fossem ‘adesivos’ de coisas que traçam sua personalidade. Poucos são ativos nas comunidades que se encontram.

Uma pena, pois uma das ferramentas das comunidades são os fóruns, onde você pode interagir e discutir sobre os assuntos inerentes aquele espaço.

Das mais de duzentas comunidades que estou, frequento algumas e participo dos fóruns. Através deles, pude conhecer e manter contato com muita gente boa. Que infelizmente não estão no Twitter ou Facebook. São tão resistentes a migração, quanto eu.

3 – Downloads

Quem não baixou um álbum, uma música, uma série ou um filme por alguma destas comunidades no Orkut que disponibilizam um vasto acervo daquilo que você procura?

Inclusive o Google, a pedido dos órgãos de proteção autorial, fechou o cerco pra cima de alguma delas.

Mas sabe como é, né. A Internet, queiram ou não, é uma terra sem lei. E sempre há um jeitinho pra driblar as restrições. Seja esse jeitinho brasileiro ou não.

É raro você saber de gente que teve sua máquina infectada por vírus através destes downloads de arquivo através dessas comunidades.

———————————————————-

Bom, só são estes três motivos.

Para muitos, é muito pouco perto de outros “problemas” que as pessoas alegam, ao largar de mão do Orkut.

Para mim, são três causas essenciais pro meu movimento de resistência a esta “velha e antiquada” rede de relacionamentos.

Long live, Orkut!





Podcast “Dentro de Campo” – Mano Menezes na seleção e sua primeira convocação

28 07 2010

Olá ouvintes.

Agora o podcast tem nome: “Dentro de Campo”.

Pois é lá dentro que se resolve!

Podcast gravado entre 27 e 28 de julho de 2010, para analisar a escolha de Mano Menezes como técnico da seleção brasileira e sua primeira convocação.

Com Rafael Techima e Thiago Soares.

Gostou? Tem alguma sugestão?

Entre em contato conosco, deixando seu comentário.

Clique aqui para realizar o download do podcast.





Gravação do podcast em 26/07/2010 – Quer participar?

26 07 2010

Eu e o Thiago Soares gravaremos mais um podcast sobre o tão amado esporte bretão.

Dessa vez pra falar sobre a movimentadíssima semana no futebol brasileiro.

* Mano Menezes na seleção e sua convocação relâmpago

* Final da Copa do Brasil

* Semi-finais da Copa Libertadores

A gravação deve rolar hoje, a noite, entre 21h e 22h, via Skype.

Caso queiram participar, contate-nos pelo e-mail rafatechima@gmail.com ou pelos twitters @rafaeltechima_ e @thsoares.

Mandem também suas perguntas através dos comentários.

Assim que gravado e editado, subirei o podcast aqui.

Ouçam outras edições que gravamos no início do ano no endereço a seguir. http://futeboleafins.podOmatic.com

É isso.





Sinceramente, mano. Não gostei.

24 07 2010

O nome de Mano Menezes estava entre os favoritos para assumir a seleção brasileira.

Mas, Ricardo Teixeira, “dono” do futebol brasileiro, resolveu convidar Muricy Ramalho.

O Fluminense não quis liberá-lo. Ou talvez, o projeto da CBF não seduziu o treinador tricolor.

A fila tinha que andar e Mano foi convidado. E aceitou, na coletiva concedida por ele, no Corinthians.

Imprensa, torcedores corinthianos e rivais. Todos os consideram um “Mr. Nice Guy”.

Um cara de fácil relacionamento com todos. Que trata todo mundo bem.

Brasileiro sofre com memória curta, não é mesmo?

Em 2009, em um clássico, Milton Cruz (que naquela partida assumiu o time interinamente, após a saída de Muricy do SPFC) percebeu que não é bem assim.

E eu também percebi.

Mano tratou-o com desprezo, dizendo que ele só era um interino.

Isso não se faz com nenhum colega de profissão, mesmo que você não goste dele.

Desde os tempos de Grêmio, nunca fui com a cara dele. Ali, já percebi que ele é um lobo na pele de cordeiro.

Mas isso é só minha opinião. Minha desconfiança. Aquela coisa do “meu santo não bater com o dele”.

Reconheço que ele é um bom treinador. E fez por merecer essa conquista.

E não foi só pelos seus títulos. O tal bom relacionamento com todos talvez tenha ajudado.

Mas por tudo o que eu falei dele aqui, vai ficar difícil eu torcer pela seleção brasileira.

Muito difícil.





As amizades

20 07 2010

Tem gente que eu vejo toda dia e que não são meus amigos.

Seja aquelas pessoas que você cruza todo santo dia, no mesmo horário, quando você vai pegar o ônibus.

Ou aquela pessoa que trabalha junto com você, mas não é capaz de te dar um bom dia.

Os meus amigos mesmo, aqueles que eu conto no dedo, vejo esporadicamente.

Uns semanalmente. Outros semanalmente. E alguns sem período determinado.

Será que a amizade é medida pelo tempo que você passa longe daquelas pessoas que você confia?

Claro que não. Afinal, também há aqueles amigos do dia-a-dia. Paus pra toda obra.

Há também os amigos virtuais. Aqueles que você nunca viu, mas que criou um laço de amizade mais forte do que os elos que formam uma corrente.

E os amigos que não falam, mas que são companheiros inseperáveis? Sim, tô falando do seu animal de estimação.

Não importa qual o tipo de amizade você cultiva.

O mais importante é lembrar dos amigos.

E você? Já perguntou pro seu amigo se tá tudo bem com ele?





Eleições 2.0 – Será?

19 07 2010

Embalados pelo sucesso da campanha 2.0 do Barack Obama, que teve a Internet como sua principal frente, os candidatos brasileiros estão utilizando as ferramentas disponíveis na grande rede como nunca.

Estão mesmo?

O que vemos, entre os presidenciáveis, é um José Serra que fala sobre amenidades e sua agenda, respondendo só o que lhe interessa.

Dilma também contando histórias sobre sua campanha e Marina Silva indo pelo mesmo caminho.

Tudo isso no Twitter. E apenas lá.

Acredito que com o início da campanha eleitoral na TV, alguns vídeos vão pipocar no YouTube (pelo menos, essa é a minha expectativa). Na campanha de Obama, ele também foi muito utilizado (exemplo: Obama Girl).

E no Facebook? E os blogs de campanha? E no Orkut, a rede social mais popular do país? E os podcasts?

Com todas essas ferramentas disponíveis, a prioridade ainda será a campanha no rádio e na TV.

Talvez por falta de conhecimento técnico adequado dos marqueteiros e/ou responsáveis pela campanha dos candidatos. Ou pelo medo de confrontar ideias e propostas com os eleitores, uma vez que o rádio e a televisão são “vias de mão única”.

Um grande espaço será desperdiçado e, mais uma vez, não teremos chance em conhecer os candidatos deste pleito.

Será que é isso é o que eles mais querem?





Precisava postar isso…

18 07 2010

#ForaRicardoGomes